sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Brasileiro não é Brasileiro em Época de Eleição

O que o futebol une a política destrói

Conforme vemos na TV, internet e emeios (não está errado, pois escrevo assim mesmo) a campanha contra o PT está cada vez mais forte. Até agora não há novidade alguma e provavelmente muitos já esperavam isso.

Muitos pessoas que votam no PT devem escutar que se a Dilma for eleita o Brasil terá uma terrorista no comando ou que vão dar risada da sua cara quando escândalos e corrupções forem descobertos.

Não vou entrar no mérito do passado da candidata, mas sim na atitude das pessoas em querer colocar a culpa no amigo que votará no PT caso algo de ruim ocorra com a sociedade brasileira.

Estamos em uma democracia e todos têm seu direito de escolha, mas pessoas dizerem que darão risada de quem votou chega a ser um absurdo. Os eleitores "não-petistas" parecem que torcem para o Brasil não dar certo caso a Dilma seja eleita.

Essas pessoas parecem não perceber que se o governo não for bom (seja ele de direita, esquerda, liberal e por aí vai) praticamente toda a sociedade sofrerá. Pode-se não gostar de fulano ou pensar que o beltrano é melhor. Porém, se o candidtato eleito não for aquele que escolheu para quê torcer contra?

No futebol, em momentos de Copa do Mundo, todos são técnicos e torcedores fanáticos do Brasil. Ou alguém deixa de torcer porque o zagueiro é do time rival? Na política muitos eleitores pensam ser analistas políticos. Porém, falta lembrar que, independente de quem governa, todos são brasileiros e vivem sob as mesmas políticas.

Não precisa apoiar quem chega, mas torcer contra um político antes mesmo de ser eleito é o mesmo que torcer contra si mesmo.

Observação: O intuito do blog não é fazer campanha para um ou para outro, mas sim levantar discussões para que os leitores reflitam sobre situações ocorridas na sociedade.

Nenhum comentário: