domingo, 31 de outubro de 2010

Ai, a Bruxa vem aí...

E não vem sozinha, vem na base do Saci

Pelo título do texto os leitores podem pensar que se trata da possível eleição de Dilma Rousseff como a 1ª presidente (mulher) do Brasil em relação à comemoração do Dia das Bruxas, data importante no calendário estadunidense.

No Brasil existem muitas histórias de folclore como o Curupira, A Mula-sem-Cabeça, Boitatá, Saci-Pererê entre outros. Porém, depois da 2ª Guerra Mundial os Estados Unidos resolveram exportar seu estilo de vida para o mundo.

O conhecido "American Way Of Life" foi inserido no cotidiano de diversos países, inclusive na sociedade brasileira, pois os estadunidenses queriam mostrar ao mundo a diferença de seus valores em relação ao bloco "Comunista" e, também, tentar conter o avanço da esquerda.

Hoje, nas escola brasileiras, o dia 31/10 é lembrado somente como o Halloween e nos cursos de idiomas são realizadas festas (eu mesmo fui em uma na última quinta-feira) como forma de inserir o aluno na cultura estrangeira.

Dia 31/10 para a cultura e folclore brasileiros é o dia do "Saci Pererê", uma figura com somente 01 perna, gorro vermelho e um cachimbo na boca. Ele é negro, gosta de travessuras e de brincar com os animais.

Os governos (municipal, estadual e federal) poderiam divulgar mais o folclore brasileiro ao invés de "americanizar" as crianças e a sociedade. O incentivo, desde criança, a leitura de contos e histórias nacionais modificaria a massa ao longo do tempo.

Por exemplo, atualmente muitas pessoas saberiam que foi Monteiro Lobato (muita gente não sabe) e o Brasil teria uma sociedade mais ativa culta, se é que podemos dizer assim.

Enfim, parabéns ao Saci Pererê!

Um comentário:

Anônimo disse...

Thiago, aqui no prédio onde moro as crianças fizeram no sábado sua festa de Halloween e visitaram todos os apartamentos do condomínio. Pela manhã, sob uma chuva torrencial tive que sair para comprar doces para a meninada.
Mas, em minha infância não havia esse tipo de brincadeiras. Trata-se, como você disse, de uma americanização cultural. Que pena!