segunda-feira, 30 de agosto de 2010

O Circo Eleitoral

Respeitável Público!!!

Boa noite senhoras e senhores,

Nestas eleições, no picadeiro do Circo Eleitoral, nós teremos o mágico Maluf que faz seu dinheiro aparecer em contas de paraísos fiscais em um piscar de olhos.

De fantoches vamos apresentar Tiririca, Vampeta, Dinei, Mulher Melão e muitos outros. São bonecos manipulados que se chegarem ao poder saberemos quem os controlam.

Nos malabares têm Dilma, Serra e Marina que se eleitos prometem não deixar cair as finanças do povo e da nação.

No Senado temos Netinho de Paula e Moacyr Franco como equilibristas do futuro governo e, no Globo da Morte, o povo Brasileiro.

Para palhaço pode ser este e outros blogueiros, pois nossos textos podem arrancar risadas ao pensarmos que algo será mudado depois do pleito.

sábado, 21 de agosto de 2010

Uma comédia chamada "Horário Político"

A propaganda eleitoral, tanto no rádio quanto na televisão, está cada vez mais cômica e menos informativa

Em ano de eleição os candidatos atiram para todos os lados em busca de votos. Passeios em praças, periferias, distribuição de santinhos, chaveiros, bonés e, utilizam também, a propaganda eleitoral gratuíta nos meios de comunicação.

O chamado horário político, nas televisões e rádios, é um espaço destinado ao candidato para expor suas propostas de governo e interagir com o público alvo. Porém, o que vemos e ouvimos não está próximo disso quando falamos dos cargos à deputado estadual e federal.

Existem advogados, dançarinas, empresários, ex-jogadores de futebol, humorístas, médicos, modelos, músicos e religiosos (são apenas alguns exemplos) com intenção de arrumarem uma vaga no cenário político brasileiro.

A maioria dos candidatos dizem o nome, o número de inscrição e falam coisas que nada têm com a política para conseguirem votos.

Governar para todos ou somente para uma parcela da sociedade?

Dinei e Vampeta (ex-jogadores do Corinthians): para se elegerem ambos se dizem candidatos dos corinthianos. Se uma família com 04 pessoas tiver um torcedor de cada clube grande de São Paulo quer dizer que eles lutarão somente pelo torcedor do Timão?

Tiririca (humorista): esse diz que se o povo não sabe o que um deputado faz que votem nele e terão a explicação. Não seria mais fácil acessar o google e realizar uma pesquisa?

Hoje no rádio um candidato (me desculpem, mas não lembro o nome) disse que trará justiça e o evangelho para a sociedade se for eleito. Vivemos em uma sociedade laica e não podemos distinguir religiões. Ao trazer o evangelho ele excluirá os adeptos do islamismo, budismo, hinduísmo, religiões africanas etc?

Claro que cada candidato tem uma determinada parte da sociedade na qual ele pretende defender projetos. Porém os casos acima citados são absurdos e devem ser devidamente analisados pelos eleitores.

Governar não é brincadeira ou piada porque as decisões dos eleitos afetam milhões de pessoas. Portanto, pensem bem antes de eleger seu candidato.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Educação deve ser a prioridade do governo

Em uma sociedade com grandes índices de violência não adianta construir presídios. O grande investimento tem de ser em educação

A cada dia que passa pode se dizer que o governo, seja ele municipal, estadual ou federal,  deva investir em educação, porém alguns candidatos insistem em dizer que segurança é a prioridade na sociedade brasileira.

A intenção do blog não é para destacar minhas experiências vividas, mas utilizarei para expor uma situação que presencei hoje, por volta de 18h40m, próximo ao bairro de Interlagos.

Estava parado no trânsito, conversando com minha namorada, quando escutei barulhos  parecidos com bombinhas ou tiros. Quando olhei para frente ví um homem correndo e outro com uma arma apontanda. Ou seja, foram 02 disparos antes que visualizasse as pessoas.

Mandei minha namorada se abaixar e me posicionei sobre ela. Enquanto isso o homem que fugia parou enquanto o que portava a arma o abordou e o jogou no chão. Nesse momento o trânsito fluiu e sai em disparada do local. Mais adiante, cerca de 300 metros, vimos uma viatura e dissemos o que ocorreu.

O fato importante aqui não é que eu e ela poderíamos levar um tiro, mas sim que as demais pessoas dos outros carros e aquelas que estavam a pé também poderiam ter sido alvejadas. Foi possível perceber como a nossa sociedade está frágil.

Muitos podem dizer que isso é comum de acontecer, outros com certeza vão pensar que  os envolvidos devem ser presos e o governo colocar mais policiais nas ruas para manter a segurança.

Concordo que investir em segurança ajuda na prenvenção, porém, se os governos derem mais atenção para a educação e conscientização, as pessoas com certeza  não portarão armas.

Pelo bem do povo, nas eleições, temos que verificar as propostas daqueles em que vamos votar. Não adianta escolher um canditato com intenção de construir prisões, pois para um futuro melhor, nossas crianças deverão ser bem orientadas e educadas.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Falta de Ação Política Prejudica População Carente

Políticos, quase nada fizeram e, também, não falaram nada sobre prevenção de enchentes. Até quando a periferia terá de conviver com esse problema?

Entre o final de 2009 e o começo de 2010 um terremoto assolou o Haiti e mais de 100.000 mortes ocorreram. No Jardim Pantanal, zona leste da cidade de São Paulo, devido as fortes chuvas, enchentes destruíram casas e inúmeras pessoas ficaram desabrigadas.

São apenas 02 notícias citadas para deixar claro a falta de cobertura da mídia em relação à assuntos com interesse social. Ou seja, vidas foram perdidas e milhares perderam casas, porém os fatos serviram somente naquela época para ilustrar os noticiários e renderem vendas e audiência.

A falta de destaque da mídia, ao que parece, afeta também os políticos. Poucos são os que citaram casos como o do Jardim Pantanal para dizerem que existe um planejamento com o intuito de prevenir situações como essa.

Falam em educação, saúde e segurança (o que de fato é viável), porém devem tratar de problemas que ocorrem a pelo menos 05 anos e que nada foi feito para melhorias das populações carentes.

Infra-estrutura deve ser pensada para a próxima gestão e não somente por causa da Copa de 2014 e das Olimpíadas em 2016. Saneamento básico, moradia e transporte têm que ser acessível à todos e com condições de se viver. A sociedade não pode ter medo de que a próxima chuva leve sua casa ou alague a avenida impossibilitando de ir ao trabalho.

Vamos ser siceros. Se o problema ocorrido na periferia fosse no Morumbi ou no Jardins (não o Pantanal claro!!!) a população estaria sem auxílio do governo como hoje?

sábado, 14 de agosto de 2010

A População Necessita de Mais Informações e Menos Números

Muitos dados e pouca informação para o leitor

O jornal "Folha de São Paulo" tem um caderno chamado "Poder" onde noticia as informações sobre a política no páis. Neste segundo semestre de 2010 o foco é a eleição presidencial e estadual.

A edição de hoje, dia 14/08/2010, tem 06 páginas (somente com notícias, pois não foram contabilizadadas as de publicidade) com informações sobre as pesquisas de intenção de voto a sobre as ações na política nacional.

Depois de uma breve análise foi constatado que das 06 páginas de informações somente 02 não relatavam sobre os resultados das pesquisas e vantagens dos candidatos para serem eleitos.

A divulgação dos resultados tem extrema importância no cenário político para que os candidatos consigam traçar suas campanhas e planos  e, assim, conquistarem novos eleitores. Porém, será que utilizar cerca de 2/3 dos espaço do caderno para divulgar dados é mais importante do que noticiar informações sobre o que ocorre no cenário político atual? Além das eleições é claro.

Menos de 1/3 do caderno "Poder" foi destinado à informações políticas e não eleitorais

As 02 páginas com conteúdos sobre a política nacional trazia as informações do candidato Serra sobre as rodovias, a contestação dados sobre o programa "Minha Casa, Minha Vida" para Dilma e o uso de recurso público para financiar campanhas.

Percebemos, então, que tudo o que foi noticiado tem ligação com as eleições. Porém, o fato de uso do recurso público cabe no cenário político atual. No caso de Dilma e Serra os fatos são claramente eleitoreiros.

A sociedade precisa saber o que é feito pelos que estão no poder e, também, qual o plano de governo das candidatos. Somente assim conseguiram definir em quem votar e o que acreditam ser melhor para o futuro do Brasil.

De números o povo está cansado, pois já basta fazer as contas para saber se no final do mês vão conseguir pagar todas as dívidas.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Candidatos Estão Distantes dos Eleitores

O contato dos políticos com o povo está cada vez mais distante

O primeiro debate entre os candidatos à presidência da república já ocorreu e as campanhas estão cada vez mais intensificadas. O contato dos possíveis presidentes com os eleitores deveria ser mais de perto, porém, não se percebe isso ao verificar a cobertura das eleições.

Os candidatos (Dilma, Marina e Serra) ocupam suas agendas com visitas pelo Brasil a fora, mas praticamente o único contato com a população fica por conta de um passeio na rua de alguma comunidade ou um cafézinho na padaria.

Sempre se lê, escuta e vê que determinado político tem encontro com empresários para discutir o desenvolvimento do Brasil e o crescimento da nação. Porém, na maioria dos casos ele apenas tenta conseguir mais recursos para financiar sua campanha.

Antigamente as campanhas tinham os chamados "comícios", onde a população podia ouvir as propostas e sentir cada candidato no exato momento de seu discurso. A proximidade com os eleitores deveria ser mais intensificada, afinal, todos os políticos dizem querer governar para eles.

Em uma sociedade em que cada vez mais as pessoas se trancam em seus condomínios com academia, parquinhos e quadras, em que as amizades e namoros são comuns via internet, s candidatos poderiam seguir o caminho contrário e se aproximarem da população.

Às vezes, o fato de olhar nos olhos da população pode transmitir confiança, credibilidade e um pouco de atenção, algo que os mais necessitados desse Brasil necessitam para votarem com orgulho e seriedado no próximo presidente.

domingo, 8 de agosto de 2010

O "Fenômeno" África Acabou

Depois de cerca de 02 meses nas pautas dos jornais, a África parece não existir mais em nossa mídia

A primeira Copa do Mundo em solo africano fez a mídia enviar inúmeros correspondentes e encher os jornalões e as telas de notícias sobre a África de Sul.

Depois da final do mundial, a mídia trouxe de volta seus jornalistas e o continente foi esquecido, conforme previsto neste blog.

Enquanto estavam por lá, os meios de comunicação buscavam informar sobre pontos turísticos, a situação política e sócio-econômica com poucos retoques históricos da formação da nação.

Recentemente a África do Sul, país recém saído do apartheid, condenou por corrupção um do mais importantes polícitos de sua história. Jackei Selebi foi chefe da polícia do país entra 2000 e 2008 e recebeu condenação de 15 anos de prisão.

Não encontrei tal notícia nos jornalões, porém obtive informação através do blog "Pé na África", mantido por Fabio Zanini, jornalista da Folha de São Paulo.

A mídia brasileira continua a se importar pouco com o continente africano pelo fato de não ter grande importância no cenário econômico mundial. Assim, se esquece de relatar as atrocidades cometidas na África do Sul e nos demais países.

Aliás, acredito que a não publicação da notícia serve, também, para que nossa sociedade continue a aceitar a impunidade da corrupção no Brasil.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Corrupção no Caso de Rafael Mascarenhas

A corrupção não está somente no Estado, mas também na sociedade que contribui para sua generalização

Nos últimos dias os meios de comunicação trouxe novamente à tona casos de corrupção de instituições como a polícia militar. Tal fato só voltou a ser noticiado por causa da morte de Rafael Mascarenhas, filho da global Cissa Guimarães.

Os policiais que atenderam o rapaz que atropelou Rafael solicitaram dinheiro para não realizarem a denúncia. Essa atitude torna os P.M.'s corruptos e mostra que a instituição não está longe de problemas que muitos pensam só existir entre os políticos.

Porém, o que este blog quer ressaltar não é o fato de os policiais solicitarem dinheiro (até porque isso não é novidade alguma), mas sim o fato de o pai do garoto que atropelou aceitou pagar para não ver seu responder à justiça pela infração cometida.

A mídia, até o momento, apenas soube noticiar e condenar a polícia pelos atos de corrupção cometidos por seus servidores. Mas esqueceu de trazer para a discussão algo que, aos olhos deste blogueiro é mais grave, a atitude do pai em pagar o suborno solicitado pela P.M.

Discussões são feitas para entender por qual motivo a P.M. tem esse tipo de problema, mas ninguém quer debater por qual motivo a sociedade aceita corromper e ser corrompida.

Cabe a nós refletir sobre a situação antes de criticar e condenar. Não sou defensor da polícia, mas neste caso, devemos verificar ação da corrupção de ambos os lados. Ainda mais o lado da sociedade, pois podemos morar ao lado de um corrupto e não sabemos.