terça-feira, 29 de junho de 2010

O que é o feriado de 09 de Julho?

Revolução Constitucionalista ou Francesa?

Sei que ainda está um pouco longe da data, mas dia 09 de julho será feriado e poucos sabem o que de fato ocorreu nesse dia. Trata-se da Revolução Constitucionalista de 1932.

Getúlio Vargs estava no poder do Brasil, na chamada "República Nova", depois de um golpe de estado nas eleições de 1930 em que Julio Prestes foi eleito através do voto. O novo presidente anulou a Constituição de 1891 com a "intenção" de promover mudanças significativas no país.

São Paulo não aceitou a situação e resolveu criar uma oposição contra o governo de Vargas para exigir que as decisões fossem tomadas através do voto. Em 1932, especificamente em março, os paulistas entraram em confronto contra as forças do governo que resultou na morte de 04 estudantes sendo eles Martins, Miragaia, Drausio e Camargo. Daí surgiu a sigla MMDC. Tempos depois adicionou-se ao final da sigla a letra A, de Alvarenga, em referência a mais um jovem que perdeu a vida no movimento.

O dia 09 de Julho de 1932 foi o estopim da Revolução que ganhou o apoio de jovens na luta contra a ditadura do governo. Porém, o porto de Santos foi fechado e os demais estados que auxiliariam no movimento foram impedidos de chegar à São Paulo.

O movimento dos "Revolucionários" não resistiu e as forças do governo tomaram o controle de grande parte das cidades de São Paulo e, posteriormente, da capital. Coincidentemente ou não, 02 anos depois o governo realizou eleições e as mulheres tiveram direito ao voto pela primeira vez no Brasil.

Aqui está somente uma pitada da história, mas acredito que ajudará um pouco no entedimento da importância dessa data em que algumas pessoas perderam a vida na luta pela democracia e uma sociedade mais justa.

Há quem saiba que o dia 09 de Julho é feriado da "Revolução Constitucionalista de 1932". Outros sequer têm noção sobre o que se trata, mas também não arriscam palpites sobre o que é. Até que isso não é ruim, se pensarmos que há 02 anos atrás escutei que celebraríamos a "Revolução Francesa". Incrível não? Au revoir...

Observação: a Revolução Francesa é comemorada no dia 14 de julho, assim como o Dia Nacional do Iraque.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Um Simples José

Quantos 'Josés' você conhece?

José é um homem humilde e com praticamente 60 anos. Ele acorda todos os dia às 04 da madrugada para ir ao trabalho. Toma banho, café e caminha cerca de 35 minutos até a estação de Carapicuíba para pegar o trem, que por sinal já vem lotado.

Na Barra Funda José faz baldiação para pegar o metrô (lotado também) e na Sé faz outra para poder chegar às 07 horas na região da Vila Mariana, local onde trabalha. Depois de sair da estação ele ainda caminha mais 15 minutos até o emprego.

O trajeto de volta não tem muitas mudanças em relação ao de ida. Pode-se dizer que basicamente o metrô e o trem são mais cheios que pela manhã. Ele sai do turno de trabalho às 18 horas e a condução nesse horário com certeza está com mais pessoas.

Alguns se perguntam porque José caminha 35 minutos entre sua casa e a estação de Carapicuíba para ir e voltar do trabalho. Será que o transporte público naquele município é de baixa qualidade? Ou será que José gosta de caminhadas matinais? Afinal, com quase 60 anos é sempre bom se exercitar.

Mas não meus caros! Não são esses os motivos que fazem José andar tanto assim. Ele é mais uma vítima do sistema que recebe um salário mínimo e somente um vale-transporte de ida e volta da cooperativa que o emprega.

Isso mesmo, José conseguiu um emprego através de uma cooperativa que o encaminou para uma empresa de médio porte e, dessa forma, não existe registro em carteira. Consequentemente, não tem que pagar todos os encargos trabalhistas barateando o custo de mão-de-obra.

Esse simples José, que paga aluguel do quarto e cozinha onde mora sozinho, lava a garagem da empresa onde trabalha para completar sua renda mensal e conseguir sobreviver com dignidade. Aliás, ele pensa em largar o trabalho e voltar à sua terra natal  para cuidar da sua mãe que está com problemas de saúde.

A história de José pode ser vista em milhares de brasileiros que vivem da mesma forma ou em condições piores. Porém, alguns de nós não conseguimos enxergar essa realidade que muitas vezes está diante dos nossos olhos. E sabem por quê? Porque na maioria das vezes reclamamos que o ponto do ônibus está a 10 minutos de nossas casas, a lotação demora uns 30 minutos para chegar no metrô ou até mesmo que o trânsito está muito ruim. Para nós NUNCA está bom.

Esses pequenos problemas do cotidiano às vezes nos deixam de mal humor durante o dia. Enquanto isso, José é só alegria e sorrisos para todos que passam por ele no trabalho. Até mesmo quando acorda atrasado e não tem R$ 2,70 para pegar um ônibus até a estação.

P.S.: A história de José é verídica, porém o nome foi alterado para preservar sua identidade.

terça-feira, 22 de junho de 2010

A Eliminação da Copa Não é o Final do Mundo

A primeira Copa do Mundo de futebol no continente africano já caminha para o final da primeira fase e, pelo que acompanhei nos jornais e sítios na internet, o torneio e sua organização em uma nação de terceiro mundo não foi aquilo que muitos pensaram que seria. Uma grande confusão e inúmeros problemas.

Aliás, pelo que temos visto nas telinhas das emissoras que transmitem os jogos, um  dos problemas é o futebol defensivo e extremamente tático que impede o torneio de exibir belas jogadas e gols com mais frequência. Isso dentro do campo, porque fora dele foi possível verificar alguns assaltos e trânsito, mas nada que nos surpreendesse se analisarmos a atual situação da sociedade sul-africana.

Por ser um evento mundial em um continente esquecido pela grande mídia (antes de ser sede da copa é claro!!!) as seleções africanas ficaram em destaque e um bom desempenho era esperado. Porém, não foi isso que vimos até o momento e somente Gana tem condições de avançar à próxima fase.

A eliminação precoce de Camarões, Nigéria e África do Sul fizeram com que a mídia esportiva mundial gerasse uma grande discussão em torno dessas seleções, pois a maioria dos seus jogadores, exceto os do país anfitrião, são profissionais em grandes e médios clubes da Europa.

Existe vida além da copa e ela é bem sofrida

Todo esse texto acima tem um sentido que não é tratar do fraco futebol praticado pelos africanos, mas sim voltar os olhos para as suas nações e seus problemas sociais que assolam a população e contribuem para o pouco crescimento econômico dos países.

Camarões foi colônia francesa e somente na década de 60 conseguiu sua independência. Os povos do norte, de maioria muçulmana, resolveram se anexar à Nigéria onde permanecem até os dias atuais. Com sistema presidencialista, o seu presidente Paul Byia está no poder desde 1992, no mínimo, quando houve as primeiras eleições multipartidárias no país. Até hoje existem focos de resistência em relação às áreas separatistas e inúmeras pessoas fogem para conquistar uma vida melhor.

A Nigéria, que foi colônia britânica, também conseguiu sua independência há pouco tempo e isso, como na maioria das nações africanas, gerou uma guerra cívil. O país teve poucos momentos de estabilidade (se é que podemos dizer isso) e atualmente sofre com conflitos entre cristãos e muçulmanos que se enfrentam para conseguir o poder. Isso assola a população, causando êxodo devido o conflito armado e instabilidade econômica e social.

A África do Sul, como sabemos, também foi colonizada pelos britânicos, mas tem um pézinho de holandeses no meio. O apartheid, sistema de segregação racial que oprimiu os negros, acabou no início dos anos 90 e trouxe consequências graves ao país.

Atualmente os brancos são detentores da maioria da riqueza e os negros ainda são os menos favorecidos. Existem políticas sociais que facilitam o acesso deles ao mercado de trabalho para conseguirem as mesmas oportunidades que os demais, mas ainda assim existe o preconceito. Afinal, se no Brasil depois de mais de 100 anos do final da escravidão ainda restam vestígios de problemas com a cor da pele, imaginem na África de Sul onde o apartheid terminou tem pouco mais de 15 anos.

Enfim, podemos tirar uma lição de tudo isso. A eliminação precoce de uma copa de mundo (mesmo que seja um torneio de 4 em 4 anos) não é o fim do mundo para uma nação. Como vimos, eles ainda têm muito o que fazer para acabarem com o sofrimento de suas populações.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Samba, Futebol e Eleição

O ano de 2010 para os brasileiros está bem movimentado, pois teve carnaval, está em época de copa de mundo e ainda terá eleição para escolher deputados estaduais e federais, governadores, senadores e presidente.

Desde pequeno há o costume de dizer que o "ano só começa depois do carnaval". Em ano de copa do mundo praticamente o país todo deixa as atenções voltadas para a seleção brasileira e, com eleição, parece que sempre acaba rapidamente e logo chega mais um natal.

Enfim, o carnaval já passou e todos estavam ansiosos para o começo do mundial da África do Sul. Porém, até algum tempo antes de sair a escalação do Brasil a mídia falava apenas dos candidatos à presidência do país. Agora só há na TV, rádios e jornais notícias sobre a seleção brasileira.

Em conversas com colegas de trabalho, de bairro e familiares nem parece que em 2010 haverá decisão do futuro do país com as eleições, pois todos se preocupam somente com a copa do mundo e esquecem que a vida continua com trabalho, estudo e tudo mais além do futebol.

Se continuar assim, depois do Mundial a única opção de voto que o povo brasileiro vai querer saber será do próximo BBB.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Notas para a Seleção

O jogo contra os norte-coreanos não foi dos melhores e o Brasil jogou um futebol nada magistral para quem se escondeu o tempo todo durante a preparação.

Abaixo do que se esperava, a seleção brasileira vai ter que jogar muito mais para conseguir ir longe na copa. E olhem que interessante para não dizer absurdo: se o Brasil empatar os próximos 02 jogos e a Costa do Marfim e Portugal vencerem a Coréia do Norte por 2 gols de diferença nós estaremos fora do mundial da África.

Vamos as notas dos jogadores brasileiros:

Julio Cesar: Quando chegou um chute no gol não teve o que fazer - 7,5;
Maicon: Apoiou bem e apareceu para o jogo. Resumindo, ele foi o melhor em campo - 8,5;
Lúcio e Juan: Seguros e não tiveram o que fazer no lance do gol - 7,5;
Michel Bastos: Pode render mais - 6,5;
Felipe Melo: Não me surprendeu em nada e continua o mesmo - 5,5;
Gilberto Silva: Fez o papel de proteger a zada, algo sem necessidade - 6,5;
Elano: Fez jogadas e um belo gol - 7,5;
Kaká: Recebia e tocava de lado - 4,0;
Robinho: Tentou alguns lances e deu um belo passe para o gol de Elano - 8,0;
Luis Fabiano: Sem ritmo ele passou em branco mais uma vez - 5,5;
Nilmar: Mostrou que pode ser titular - 7,0;
Ramires: Pouco pode fazer, mas sabemos que é melhor que Felipe Melo - 6,5;
Daniel Alves: Entrou no lugar de Kaká e deu mais ritmo de jogo - 6,5;

E agora, que venham os africanos da Costa do Marfim.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

A Blindada Seleção do Dunga

Amanhã começa a Copa do Mundo para os brasileiros e a ansiedade e agitação já toma conta das pessoas que separam suas camisas, bandeiras e enfeites para utilizarem antes, durante e depois do jogo (se o Brasil ganhar é claro!).

Alguns serão dispensados do trabalho e poderão ver a partida em casa ou no bar e outros terão de assistir no trabalho mesmo, pois alguns lugares não dispensaram os funcionários para que assistissem o jogo onde quisessem.

Enfim, o que todos os brasileiros têm em comum para o jogo de amanhã é a adrenalina e o suspense de como a seleção irá jogar contra os norte coreanos, ou aqueles de nacionalidade de um país chamado 'República Democrática Popular da Coréia', de acordo com o técnico  Kim Jong-Hun prefere.

Diante de uma seleção fraca e que reverencia seu ditador a seleção Brasileira deverá mostrar todo seu arsenal e jogar para a frente, assim como os alemães contra a Austrália.

Os jornalões brasileiros retratam a República Democrática Popular da Coréia como uma nação governada por um ditador que mantém o país super fechado. Aliás, o mesmo se repete com a seleção deles que treinam longe da mídia e com raríssimas entrevistas.

Já Brasil, como nação e não seleção, é aberto e tem a chamada 'liberdade de expressão'. Porém, o que vemos com os comandados do Dunga é algo similar à seleção coreana e com o regime em que vivem em seu país, treinos fechados e somente poucas entrevistas coletivas.

É muito fácil criticar os coreanos (a seleção de futebol) por se fecharem pelo motivo de viverem sob ditadura enquanto a seleção brasileira utiliza os mesmos métodos com o subterfúgio de que a preparação para a última copa foi uma bagunça. Afinal de contas, se reclusão ganhar jogo Brasil e Coréia do Norte terminará empatado amanhã!

Nota
O Brasil tem alguns recordes no futebol como a seleção que mais ganhou títulos mundiais (05 vezes), o jogador que mais fez gols em copas (Ronaldo com 15 gols em 04 edições) e o único jogador que jogou 03 finais consecutivas (Cafú).

Ressalto aqui que se levantarmos o caneco na África seremos detentores de mais um recorde: a única seleção que foi ganhou a Copa do Mundo em todos os continentes disputados. Europa (Suécia - 1958), América do Sul (Chile - 1962),  América do Norte (México e Estados Unidos em 1970 e 1994, respectivamente e Ásia (2002 - Coréia do Sul e Japão).

Força Brasil!!!




segunda-feira, 7 de junho de 2010

Israel: O Grande Mocinho

Poucos dias após Israel atacar a embarcação turca "Marvi Marmara" e tirar a vida de nove integrantes, que que tentavam furar o bloqueio israelense para levar ajuda humanitária, até a Faixa de Gaza, seu exército atacou e matou quatro palestinos que estavam em um bota

De acordo com a grande mídia brasileira e as agências internacionais, os palestinos mortos eram "terroristas" trajados de roupas de mergulho e que planejavam  um ataque contra Israel e sua população.

O governo israelense e seu exército atuam com barbárie contra uma população isolada do restante do mundo e que enfrentam problemas como desemprego, preconceito e cárcere  (afinal, Israel bloqueou as passagens para Gaza) enquanto o governo estadunidense e a O.N.U. (Organização das Nações Unidas) soltam falas bem amenas em relação aos ataques.


Há quem condene a ação palestina, principalmente a do Hamas (grupo que controla a Faixa da Gaza e rival do Fatah que controla a Cisjordânia), de atirar bombas e manter ataques suicidas em território israelense. Também não sou a favor de atos contra populações cívis, mas acredito que a forma como os palestinos do Hamas atuam é o único jeito de o mundo ouvir e ver a situação de penúria, descaso e esquecimento em que vivem.

Não existe motivo para esticar mais o texto, porém valel embrá-los que Israel negou o pedido da O.N.U. de investigar o ataque ao navio turco e a grande mídia não trata isso com grande relevância. Pois o legal mesmo é dizer que palestinos são terroristas e israelenses se defendem.