quarta-feira, 24 de novembro de 2010

O Rio de Janeiro continua lindo...

Capital carioca é alvo de ataque de facções que queimaram carros e ônibus

A cidade do Rio de Janeiro foi tomada por ondas de ataques de traficantes que queimaram carros, ônibus e atacaram policiais sem dó ou piedade.

Jornais falam em união de facções para atacar a cidade e, também, que o motivo é a ação das U.P.P.'s (Unidade de Polícia Pacificadora) instalada nos morros e comunidades da cidade maravilhosa.

As conhecidas U.P.P.'s não são tão pacificadoras assim, pois são instaladas nos locais e os policiais ficam com armas de grande porte apontada para os pessoas o dia todo.

Nesse caso a violência diminui ou a intimidação ganhou força? Pode-se realmente afirmar que a polícia está alinhada com a sociedade? Com certeza não!

O exemplo citado foi apenas para ilustrar que o poder público não consegue controlar a violência no Rio. A polícia, próxima das comunidades, apenas gerou desconforto e opressão. Ou você acredita que os moradores dos morros querem somente "segurança" para serem felizes?

A sociedade precisa de moradia com água encanada, sáude pública decente, escola com qualidade e emprego para conseguirem viver com dignidade e não a violência da polícia e, também, dos traficantes que deitam e rolam quando e onde querem.

No Rio de Janeiro quando os traficantes não estão no comando, porque a polícia agiu de forma "correta", as milícias assumem o controle e fazem igual ou pior. Basta ver o "Tropa de Elite II" e comprovará o fato.

A verdade é que o poder público perdeu o controle da segurança para a sociedade e tentou, à todo custo, maquear a situação com as U.P.P.'s nas comunidades. Os fatos recentes (e atuais, pois nesse momento a situação está fora de controle) demostram a fragilidade do governo e sua total ineficiência em proteger a população.

Em 2014 tem Copa do Mundo e em 2016 as Olimpíadas e os problemas preocupam todos. Se o governo não consegue dar segurança à sua própria populução, quem dirá para os estrangeiros que visitarão a cidade.

De qualquer forma, isso é passageiro e daqui uns 20 dias todos esquecerão, inclusive as mídia brasileira sabe porque? Por que de acordo com a música "Aquele Abraço", de Gilberto Gil, "O Rio de Janeiro continua lindo".

Um comentário:

Anônimo disse...

Thiago, quando criança e adolescente, eu ia muito ao Rio de Janeiro com meus pais. As favelas eram, então, uma atração turística. Casinhas incrustadas nos morros, com suas cores variadas e roupas penduradas em varais improvisados.
Compositores diversos cantavam as favelas cariocas como um lugar de amor, de samba e de rara beleza.
Os anos passaram e só voltei ao Rio anos depois só que a trabalho e vi que o Rio continua lindo, mas já era muito perigoso andar pelas ruas de Copacabana. Me lembrei então de uma frase dita por um motorista de taxi, eu acho, que era o seguinte: "As favelas viraram atração turística. Só quero ver como será o dia em que ela descer o morro". Faz quase 50 anos que ouvi esta frase. Elas só aumentaram de tamanho e de quantidade nestes anos todos.
"Favela ô, favela, favela que mora no meu coração. Ao recordar com saudade, a minha felicidade, favela do sonho de amor e do samba-canção."

Abraços