quarta-feira, 4 de maio de 2011

Futebol na T.V.: vou parar com isso

Os diretores dos clubes não se preocupam com os torcedores. O importante mesmo é o afago ao dono do poder

Por Thiago Marcondes

O futebol, paixão nacional do brasileiro, esteve presente em minha vida desde a infância e sempre acompanhei os jogos nas telinhas. Não importavam os times em campo. O importante mesmo era ficar os 90 minutos com os olhos pregados na televisão.

Aliás, a paixão pelo esporte não ficou somente na T.V. e procurei sempre jogar alguns campeonatos na escola, pela "Liga do Batalha" e, também, aos domingos com amigos. No último caso podemos dizer que pratiquei "corrida", pois quase não recebo a bola por conta da habilidade (ou a falta dela) com a pelota. Agora jogo como goleiro.

Isso me rendeu gesso 02 vezes e, no último mês, uma perna inchada por conta de uma pancada. Mas isso é história para outro dia, portanto voltaremos ao futebol profissional com todo seu poderio econômico e de mobilização das massas.

Fui muito em estádios, mas decidi não ir mais por conta do alto custo (cerca de R$ 100,00 o casal) com ingressos, gasolina, estacionamento e minimamente refrigerantes com um lanche barato. Ah, a violência e falta de condições influenciaram muito em minha decisão.

De 2009 até o final de 2010 acompanhei os jogos de futebol somente pela T.V. e a qualidade técnica dos jogadores caiu cada vez mais. Os comentaristas não ajudam e em alguns casos os narradores erram os nomes dos clubes e atletas. Isso acontece muito com a Globo, detentora da transmissão dos torneios.

Em 2011 tivemos a confusão em relação aos direitos de transmissão do campeonato Brasileiro/2012 onde o Clube dos 13 tentou acabar com a hegemonia (entende-se por MONOPÓLIO) da Globo. Os clubes, que sempre almejaram a troca de emissora para adiantar o horários dos jogos, desistiram da idéia.

Sabe-se que o dinheiro e o poder move o interesse de muito e muitos clubes como Corinthians e Flamengo (citei somente os que mais receberão, porém há outros no bolo) que foram nessa direção. A Globo, com seu poderio econômico, convenceu inúmeros times a assinarem contrato com ela de forma individual e, assim, o Clube dos 13 ficou na mão conforme o artigo Cada um por si e a Globo por todos.

Ao negociarem com a Globo os clubes voltaram atrás naquilo que mais atormenta seus torcedores: os jogos às 21h50m (que sempre começam às 22h ou quando a novela termina. Dificuldade de locomoção pela cidade, transporte público precário e reduzido e ainda deve-se compreender que a maioria das pessoas trabalham no dia seguinte, ou no dia em que acaba o jogo, pois o apito final quase sempre ultrapassa às 00h.

A falta de respeito das diretorias com o torcedor que vai ao estádio, seja onde for, faça chuva ou faça sol, parece não fazer diferença para ninguém. Apenas pensam em lucrar, lucrar e lucrar.

Já deixei de fazer muita coisa por conta do futebol na T.V. Mas agora prefiro um belo passeio com a família ou com a mulher amada ao lado, enchendo-a de beijos, abraços e carinho. O replay dos gols passará por todo o domingo, porém o momento de fazer alguém feliz pode não voltar mais, ainda mais se o time perder.

Thiago Marcondes é Jornalista

Um comentário:

Wesley Diego disse...

Escreveu o que sinto pelo futebol