segunda-feira, 2 de maio de 2011

Osama morreu e Obama ganhou sobrevida

O presidente dos Estados Unidos aproveitou momento de instabilidade para dar notícia que os estadunidenses e o mundo esperavam há tempos

Por Thiago Marcondes

O anuncio da morte de Osama bin Laden, o todo poderoso terrorista que assumiu os ataques de 11/09/2001 ao World Trade Center, em Nova Iorque, pegou todos de surpresa. Líderes mundiais, sociedades e, também, os próprios aliados ligados ao "Al Qaeda".

Barack Obama (não confundam com Osama, apesar de ele gostar de matar tanto quanto) fez um pronunciamento na madrugada de 02/05/2011 (horário brasileiro) para noticiar a façanha com tamanha alegria para o povo estadunidense e mundial. As pessoas foram às ruas para comemorar a morte de bin Laden como se isso fosse resolver, ou até mesmo minar, os problemas com extremistas no mundo.

Alguns líderes mundiais se pronunciaram à favor e outros contra o uso excessivo da força para capturarem o mais procurado terrorista do mundo nos últimos 10 anos. Ainda assim muitas coisas em relação às ações do exército estadunidense, em conjunto com o paquistanês, não foram esclarecidas à mídia e às pessoas.

Sabemos que o ataque foi há uma semana, porém não temos a certeza se foram somente militares americanos. O governo do Paquistão informou que auxília Obama com serviços de inteligência, porém não tinha conhecimento da operação para a captura de bin Laden. Acreditem, de acordo com as informações ele estava bem próximo de uma base militar do país.

Não sabemos ao certo qual a relação do Paquistão com os Estados Unidos e seu comprometimento com a paz mundial. Pois ao mesmo tempo em que apoiam o governo de Obama eles têm líderes e campos de treinamento da Al-Qaeda em seu território e, parece até piada, não conseguem prender os responsáveis.

Quando prenderam Saddam Hussein fizeram questão de mostrá-lo barbudo e sujo. Aliás, filmaram sua morte, por enforcamento, e disponibilizaram na internet e na mídia. O homem bárbaro foi julgado e condenado pela justiça iraquiana e um julgamento confuso. Mas pelo menos todos viram sua cara.

E no caso de bin Laden onde estão as provas de que o corpo é dele mesmo? Existem exames de DNA que comprovam, mas e daí? O mundo quer fotos! Porque jogaram o corpo no mar? Dizem ser para que seu túmulo não vire um local de peregrinação para os extremistas.

Não gosto de pensar em teoria da conspiração, mas o anuncio da morte soa muito estranho e ainda mais em um momento em que os Estados Unidos estão em crise econômica, com problemas no sistema de saúde (sempre existente) e uma taxa de desemprego similar a de 1930, o ano da grande crise econômica.

Tudo isso pode não ser verdade como também pode ser. Imaginem bin Laden nesse exato momento em um apartamento em qualquer cidade dos Estados Unidos rindo de tudo. Irônico?  Claro! Tanto quanto a política estadunidense de matar (pena de morte) serve para preservar a vida.

Observação: Barack Obama mostrou ser um "Gentleman" ao anunciar a morte somente no dia 02/05/2011. Caso contrário, as notícias do casamento real ficariam para segundo plano e a Grã-Bretanha, sua parceira em guerras, ficaria extremamente chateada.

Thiago Marcondes é Jornalista

2 comentários:

Anônimo disse...

O que chateia é que talvez nunca venhamos a tomar conhecimento da verdade.

Ivan

Econocratum disse...

A verdade é uma só: mais um que morreu sem nunca ter visto o Corinthians campeão da Libertadores...