domingo, 8 de maio de 2011

A bela e caótica La Paz

Capital boliviana sofre com transito absurdo e morotistas alucinados

Por Thiago Marcondes

Copacabana - A chegada em La Paz foi tranquila e os efeitos da altitude, geralmente cansaco e dor de cabeca, nao foram sentidos. E olha que para uma pessoa que teve bronquite na infancia e tem desvio de septo e carne esponjosa no nariz as coisas podem complicar.

O taxi do aeroporto ao hotel foi divido com um estadunidense que viaja pela America do Sul por 02 meses e meio e isso barateou ainda mais a corrida. Porém, durante o trajeto percebi o quanto o transito de Sao Paulo e os motoristas sao bons.

Aqui existem semaforos, mas quase nunca sao respeitados. Os pedestres se enfiam na frente dos carros para atravessar as ruas enquanto os motoristas buzinam loucamente para que tudo e todos saiam da frente. Sejam pessoas, outros carros, onibus ou caminhoes.

As ruas sao bonitas e no sabado a noite fui dar uma volta com algumas pessoas do hostel para comermos e bebermos algo. A caminhada levou mais de 30 minutos ate encontrarmos o local e ao pedirmos o menu soubemos que nao serviam mais comida. Apos as 22 horas torna-se complicado encontrar algo para comer fora das bancas na ruas, similar as do centro de Sao Paulo.

Nesse momento eu estava com falta de ar. Tanto para respirar quanto "ARMOCO", ja que nao havia almocado. O lanche feito nas barraquinha desceu como se fosse um chefa da cozinha francesa que tivessa cozinhado e, junto com isso, os efeitos da altitude apareceram.

O pouco que andei pela cidade, ja que hoje (08/05/2011) viajei para Copacabana, percebi o quanto ela se parece mais ainda com grandes metropoles, por conta da grande quantidade de pessoas, turistas e tráfego de carros.

Na viagem o motorista ultrapassava carros pela contramao e nao se importava muito com os veiculos na direcao oposta. Ele ainda buzinava como se estivesse cheio da razao. As paradas para pegar pessoas sao absurdas e uma viagem que poderia ser feita em 02 horas chega a praticamente 04. Vale ressaltar que somente para sair de La Paz demorou cerca de 55 minutos.


Mais ainda assim, com todos os problemas, voltarei a cidade para conhecer mais de sua historia e cultura. Ate porquea falta de educacao dos motoristas foi presenciada também em Copacabana, onde finalmente senti os sintomas da altitude chegaram.

Thiago Marcondes é Jornalista


Obs: desculpem a falta de acentuacao, mas os teclados na Bolívia sao diferentes dos usados no Brasil.

Nenhum comentário: