sábado, 15 de outubro de 2011

Tragédia anunciada no Jardim Pantanal

Todo ano parece ser a mesma coisa e quando a chuva chega quem sofre são os mais necessitados

Por Thiago Marcondes

Ainda não chegou o verão e o período das grandes chuvas na cidade de São Paulo está um pouco longe de aparecer. Porém, neste final de semana a previsão do tempo é de muita água na cidade. Desde ontem (14/10/2011) à noite chove na capital, ora forte, ora uma garoa, que não parou praticamente um minuto sequer até o momento.

Isso me faz lembrar o começo dos anos de 2010 e 2011 quando o Jardim Pantanal, na zona leste de São Paulo, foi atingido por grandes chuvas e inúmeros moradores perderam suas casas, parentes e amigos. A região está no extremo da cidade e as pessoas que alí vivem já sofriam, e ainda sofrem, com  a precariedade dos serviços básicos como saneamente básico, saúde e transporte.

Na época o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, chegou a dizer que a tragédia ocorrida era culpa da chuva. Ou seja, automaticamente culpou a natureza por problemas existentes há tempos no local e que o porder público não pôde (não conseguiu ou não quis) resolver. A mídia apenas noticiou o de sempre e os políticos apareceram com ajuda de auxílio moradia até que o problema fosse resolvido.

No momento o que se pensa é somente na construção do estádio do Corinthians (Itaquerão ou Fielzão?!) para abertura da Copa do Mundo de 2014 e no incentivo fiscal para a F.I.F.A. e todas empresas que mantém contrato com ela para vender seus produtos durante o mega evento mundial, que visa o lucro e deixa o povão de fora do espetáculo.

Enfim, a chuva de ontem, que persiste até agora, me faz pensar na falta de investimento público na prevenção de enchentes e na remoção de famílias em áreas de risco de desabamento para um lugar digno e com segurança. A tragédia está anunciada e quando chegar fevereiro de 2012 pode ser que mais casas cairão, mais pessoas sejam arrastadas pela força das águas e mais vidas sejam perdidas.

Aliás, Kassab no momento está mais preocupado com a chuva de votos que seu novo partido, o P.S.D., pode receber do que com as chuvas torrenciais que possivelmente cairão na cidade e prejudicação milhares de pessoas. Seja com alagamentos que fecham as vias ou com aqueles que inundam bairros e destroem vidas.

Thiago Marcondes é Jornalista

Um comentário:

Anônimo disse...

Eu fico imaginando o medo que as famílias que residem em áreas de enchentes sentem quando assistem na televisão a previsão do tempo para o dia seguinte. Deve ser mais assustador do que filme de terror.
Abraços,
Ivan