terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Chuvas: para quê prevenir se é melhor remediar

Enquanto os governos não trabalharem na prevenção de temporais a população ficará à deriva

As chuvas nos últimos dias na cidade de São Paulo e no Grande A.B.C. provocaram enchentes, desabamentos, perdas de carros, móveis, casas e vidas. Pessoas se atrasaram para chegar no trabalho por conta do trânsito nas regiões que permaneceram alagadas mesmo horas após o final da tempestade.

O prefeito, Gilberto Kassab, falou em alto e bom som que a culpa do caos na cidade é da chuva. Ou seja, o poder público nada faz e a natureza é a culpada? Nesse caso a população deve processar quem? Deus? A igreja? Mas qual das igrejas? Deixaremos os julgamentos religiosos para o clero e seguiremos para o problema do povo.

Concordo que as enchentes ocorreram por que choveu muito na cidade, mas culpar a mãe natureza pelas tragédias é um absurdo. O homem invadiu esse espaço para construir casas, prédios e estradas em locais impróprios e não tomou sequer o cuidado de se prevenir.

Os problemas com chuvas são antigos e não se pode esperar que no próximo ano choverá menos e enchentes e deslizamentos nas cidades deixarão de acontecer. 2009 e 2010 foram assim e nenhuma medida de prevenção foi feita.

O jardim Pantanal, na zona leste de São Paulo, sofre mais uma vez com problemas por conta da enorme quantidade de água e qual a medida da prefeitura? Dar auxílio aluguel para se mudarem.  Fizeram isso em 2010 e agora, em 2011, todo o bairro está embaixo d'água novamente.

Está mais do que na hora de os governantes (sejam de nível municipal, estadual ou federal) pensarem em medidas preventivas para que a população não veja o pouco de  coisa que tem ir por água abaixo, literalmente, em períodos de chuva.

Políticas habitacionais devem ser implantadas para transferir a população de áreas de risco para locais seguros e apropriados com segurança, saúde, saneamento básico e transporte decente. Sem isso jamais conseguiremos evoluir como uma sociedade justa para todos.

Culpar Deus, utilizando a mãe natureza como subterfúgio, de nada adianta. Imagine se o povo se revolta e resolve utilizar métodos da inquisição para tirar o Kassab do poder?

2 comentários:

Anônimo disse...

Não tem mais jeito não Thiago. Tirar o povo que habita estas regiões e levá-los para outro lugar qualquer só irá transferir o problema para estas novas regiões. Há mais ou menos 30 anos ouvi na televisão que para acabar com as enchentes em São Paulo seria necessário um trabalho de vinte anos. Já se foram trinta e o problema continua. Isso não dá voto!
Abraços
Ivan

Erik Bernardes disse...

Grande Thiago, como vai?
Bom texto cara, com certeza alguma medida precisa ser tomada. A questão não são votos, mas vidas.
Infelizmente, algumas das pessoas que residem em áreas de risco nutrem esperança por ganharem casas em outras regiões e isso mantém muitos deles nessa condição. Todos conhecem muito bem as áreas que alagam ano após ano. De um lado o poder público é responsável por permitir que essas pessoas coloquem suas vidas em risco, mas as pessoas que se mudam para essas áreas também têm sua parcela de responsabilidade.

Abraços,

Erik