segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Orlando Silva é a bola da vez em caso de corrupção

Escândalos em ministérios chega à pasta do esporte e pode causar mais desgastes no governo

Por Thiago Marcondes

Há menos de 03 anos para começar a Copa do Mundo de Futebol e 05 das Olimpíadas, na cidade do Rio de Janeiro, o cenário político esportivo brasileiro vive mais uma questão polêmica e com casos de corrupção que agora envolvem Orlando Silva, Ministro do Esporte.

O ministro foi acusado de receber dinheiro não contabilizado, ou seja, de corrupção, na garagem do ministério na capital federal. Ele mesmo foi pego de surpresa e voltou às pressas de Guadalajara, no México, onde ocorrem os jogos Pan Americanos, para dar explicações à presidente Dilma Rousseff e, também, à sociedade brasileira.

O esquema de corrupção foi denunciado pela revista Veja, que não é lá essas coisas em matéria de confiança, mas que nos últimos tempos acertou em algumas situações e com suas reportagens investigativas ministros perderam seus empregos. O caso do Ministério do Transporte foi o mais notório e revelou inúmeros problemas na política nacional.

Ainda está muito cedo para saber se Orlando Silva é culpado ou inocente. Investigações serão realizadas e o Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, solicita explicações. Dilma diz acreditar na inocência de Silva enquanto a oposição quer o afastamento do ministro durante a apuração das informações até que o caso seja concluído.

Como falta pouco tempo para 02 grandes eventos esportivos no país a credibilidade do governo e daqueles que trabalham nele tem tudo para ir água abaixo os escândalos dos últimos tempos.

As obras para os estádios para a Copa está uma vergonha e em São Paulo terá dinheiro público no investimento para a construção do Itaquerão, que provavelmente sediará a primeira partida do torneio. De acordo com os governos estadual, municipal e federal, na época em que foi anunciada a decisão, a capital paulista não teria um incentivo sequer. Mas todos sabem que por conta da briguinha entre C.B.F. e São Paulo Futebol Clube o Morumbi não foi aceito como sede e, com isso, um novo local deveria ser erguido e muita grana usada para um evento dessa magnitude.

Os estádios no Mato Grosso, Brasília e Manaus serão grandes elefantes brancos após o torneio. Bem que a sociedade poderá reivindicar o local para jogar suas peladas de domingo já que o futebol não tem tradição nesses estados.

No caso das Olimpíadas praticamente toda a infra-estrutura terá de ser construída. Em 2007 o Rio de Janeiro sediou o Pan-Americano e construiu a Vila Olímpica, ginásios poliesportivos e tudo o mais ao custo de R$ 4 bilhões, mas o orçamento inicial foi de aproximadamente R$ 400 milhões. Porém, depois verificou-se que praticamente tudo aquilo não servirá para o torneio.

Muito dinheiro foi gasto, muito mais será investido e a sociedade, que deveria ser a maior beneficiada, será quem arcará com grande parte do custo. Muitos afirmam que a infra-estrutura que será criada/reformada como rodovias, aeroportos, sistema de transporte público etc irá melhorar a situação de todos, inclusive do povão.

No momento é isso o que menos se vê, pois no Ministério do Transporte muitos caíram por conta de corrupção e no Ministério do Esporte, ao que tudo indica, parece ir para o mesmo caminho. O desfecho ninguém sabem a não ser que os culpados não serão punidos e outros corruptos virão tudo sob o olhar do governo, oposição e, também, com o CZAR Ricardo Teixeira à frente da entidade máxima do futebol no Brasil, a C.B.F.

Thiago Marcondes é Jornalista

Um comentário:

Ivan Jubert Guimarães disse...

Meu caro Thiago, maisuma vez você nos alerta sobre a vergonha nacional, que antes era conhecida como paixão nacional.
Muito oportuna sua mensagem num momento em que o ministro de Esportes pode estar envolvido em mais um caso de corrupção.
Parabéns pelo texto.
Abraços
ivan