quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

De quem é a decisão do aborto?

Na hora de decidir sobre a interrupção da gravidez o homem tem grande influência

Durante toda a campanha para presidência o tema "Aborto" foi debatido de forma cansativa e com o intuito de difamar a candidatura do oponente. Pouco se alertou ou se discutiu sobre a importância para a saúde da mulher.

Como as eleições passaram, não é a intenção desse blog trazer à tona as intrigas para levantar novamente todas as questões políticas envolvidas e sim levantar outra questão pouco discutida que seria "de quem é a decisão do aborto".

A igreja condena de forma clara o aborto e alguns setores mais à esquerda acreditam que deve ser legalizado por questões de saúde pública. Inúmeras mulheres morrem por falta de cuidados e o governo somente permite em casos de estupro e/ou risco de vida. Isso todos já sabem.

Mas e a falta de discussão na mídia e nos demais setores sobre quem decide fazer o aborto? É o homem ou a mulher? Ou são ambos?

Na pauta a discussão fica toda voltada como se a mulher decidisse sozinha e excluísse seu parceiro da situação, como se o homem meramente tivesse feito o filho e não tem poder de ajuda na escolha.

Alguém já parou para pensar que em muitos casos o homem é quem quer o aborto? Ele afirma que um filho no momento estraga os planos para o futuro, pois terá de parar a faculdade ou até mesmo vender seu carro.

Existem relatos em que se o aborto não ocorrer o namorado/esposo/companheiro deixa claro que a mulher criará o filho sozinha já que ele não o deseja. Isso é apenas um questionamento de mais um tipo de violência contra a mulher e seu corpo.

Vale à pena a sociedade se atentar para esse tipo de situação, porque com tantos direitos adquiridos a mulher ainda sofre esse tipo de humilhação e, no final, ainda tem de pagar com  possíveis problemas físicos e psicológicos.

Um comentário:

Alexandre Souza disse...

Vivemos sobre o estado democrático de direito, portanto hipocrísia a parte, cabe á mulher decidir sobre o andamento ou não da gravidez.

O que não podemos mais permitir, são clínicas clandestinas que colocam em risco a vida de muitas mulheres....