segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Santos já vive problemas com transportes e trânsito

Baixada Santista oferece boa infra-estrutura, mas já apresenta problemas de cidade grande

Recentemente estive em Santos e fiquei na cidade somente 01 domingo e, posteriormente, 01 final de semana completo. Não posso dizer que conheci a cidade como gostaria , pois não tive tempo de andar de bonde ou visitar o orquidário, mas o pouco que ví me agradou muito.

Fiquei localizado em uma rua próxima a avenida da praia, no canal 3, e pelo que soube o bairro era como se fosse a Vila Madalena aqui em São Paulo. Isso eu percebi, pois existem inúmeros bares, pizzarias (chiques) e padarias daquelas que vemos em Moema.

A praia não é das melhores, pois como bom frequentador do litoral norte, posso dizer que a água e areia são medianas em relação à Caraguatatuba, onde o ambiente é mais nativo e preservado. Por outro lado a infra-estrutura é excelente a na avenida pouco se anda para encontrar lugares para comer, fazer comprar e, também, lazer.

No calçadão pode-se andar tranquilamente (não ue não exista perigo, afinal estamos no Brasil), mas viaturas da polícia monitoram a avenida e isso dificulta a ação de possíveis criminosos. As ruas são calmas e trânsito durante o final de semana existe, porém bem moderado e as placas dos carros são de turistas.

Porém, o que me chamou a atenção foi na dicifuldade de entrar na cidade. Na sexta-feira desci pela Imigrantes e sem trânsito algum, mesmo depois do temporal que houve em São Paulo por volta de 16h. Demorei cerca de 01h para ir do porto de Santos até o canal 03 em um caminho que não deveria ser mais do que 20m. Foi aí que percebi um problema.

Comecei a reparar nas placas dos carros, pois era estranho tamanho trânsito para entrar na cidade sendo que a rodovia estava vazia. Verifiquei que a maioria dos carros tinham placas de Santos, Cubatão e São Vicente. Ou seja, muitas pessoas da região que chegavam do trabalho.

Já no domingo, dia de voltar, fui à padaria e aproveitei para comprar a o jornal local, chamado de "A TRIBUNA", para saber o que se passava na cidade e logo de cara me deparei com problemas de transporte. Uma matéria dizia que as pessoas não aguentavam mais esperar os ônibus que sempre chegam lotados e sujos e, assim que pudessem, compraria um veículo para ir e voltar do trabalho.

Muitas dessas pessoas trabalham em São Vicente, Praia Grande e Cubatão e também há quem faça o caminho inverso. Ou seja, problemas nos transportes e com trânsito não é um mérito da capital paulista, esse caos já chega no litoral também.

Em São Paulo, na maioria dos bairros, há como procurar alternativas para se locomover do trabalho para casa e vice-versa, pois existem diversas linhas para atender a população. Mas vale ressaltar que ainda assim não atende a demanda e ônibus e metrô estão cada vez mais cheios.

Em Santos os políticos já podem começar a pensar em uma alternativa, pois como se trata de uma cidade turística os moradores da capital podem começar a repensar em visitar a cidade, já que não é viável fugir do trânsito paulista para o praiano.

2 comentários:

Silenciosamente ouvindo... disse...

Amigo eu gostaria de conhecer alguma coisa
do Brasil. Infelizmente,pela minha idade e
pela reforma tão baixa que tenho após mais de
40 anos de trabalho, não vejo qualquer hipótese.
Assim vou-me "enriquecendo com o que leio nos
vossos blogues ou através de PPs que recebo.
Beijinho
Irene

Anna Vocci disse...

Realmente! MAs não apenas nos fins de semana o transito é grande, durente a semana que passei lá percebi que todos os dias apos as 17 h a avenida da praia entope!