segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Bando de loucos ou bando de vândalos?

Protestar contra clubes de futebol se tornou rotina no Brasil. E quando vão começar os protestos contra os políticos corruptos?

Não sou adepto de escrever sobre futebol neste blog, pois como corinthiano fanático e assumido não quero misturar a paixão e a razão, o que em casos como esse torna-se muito difícil e, para alguns, impossível. Mas abro espaço para uma discussão viável e pertinente.

O Corinthians foi eliminado precocemente da Libertadores. Aliás, foi eliminado na pré-libertadores, algo que nunca havia acontecido com um brasileiro assim como o Internacional de Porto Alegre foi eliminado na semi-final do Mundial.

A torcida tem todo o direito de protestar, querer mais raça e ver seu time ser campeão de algo que todos os rivais almejam que é ser o melhor das Américas. Porém, não se pode quebrar portões de C.T., apredrejar ônibus e tampouco agredir os profissionais de mídia que estavam lá somente para trabalhar.

A vitória no clássico de ontem (06/02/2011) sobre o ríval Palmeiras pode amenizar a situação, mas não pará-la. Inclusive, enquanto o herói do jogo de ontem foi Júlio César, o arqueiro alvi-negro, mas eu digo em dizer que o "CARA" do clássico foi o goleiro palmeirense, Marcos. E por quê?

Marcos foi tirar satisfação com Alessandro por ter ido provocar a torcida alvi-verde depois do gol e com justíssima razão. Aquilo que ocorre dentro de campo interfere fora dele e, infelizmente, alguns torcedores podem levar para o lado pessoal e transformar em violência.

Em entrevista Marcos disse que não dormiria direito por ter perdido o clássico, mas nem por isso chegaria em casa a agrediria sua família e esperava isso dos torcedores palmeirenses. Isso foi só uma parte, pois ainda disse falou que as pessoas não vão às casas dos políticos quando desviam verba que era de moradia popular, sinalizando claramente os problemas de corrupção desse país.

Muitos podem entender que foi uma provocação em relação ao que ocorreu com o Corinthians após a eliminação para o colombiano Tolima. Porém, Marcos deixou bem claro que no esporte não deve ter briga e que os protestos podem ser feitos para a melhoria da vida de todos.

Foi um sinal claro para toda a sociedade, seja ela torcedora de algum clube ou não, para que todo o povo deva se atentar à situação de falta de condições sociais no país e que cobranças também sejam feitas no governo.

As cenas protagonizadas no Corinthians foram realizadas por um bando de vândalos, pois bando de loucos somos todos nós que elegemos corruptos e não nos mexermos para cobrá-los de irregularidades e melhorias.

Um comentário:

Anônimo disse...

Você tem razão Thiago. Entre a paixão e o ódio existe uma tênue linha de separação.
Ivan