sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Mubarak renuncia e o povo ganha

Tunisianos mostraram a força do povo e os egípcios, ao seguirem seu exemplo, conseguiram a mesma façanha

Os protestos contra a ditadura egípcia começaram após a queda de ditador da Tunísia, Ben Ali, e durou exatamente 18 dias até que Hosni Mubarak decidisse deixar o poder e abrir espaço para a democracia no Egito.

O povo foi às ruas e protestou veementemente contra o poderosos ditador, que governava o país com mãos-de-ferro há 30 anos, pois já não aguentava mais represseão, desemprego, desigualdade social e tantas outras atrocidades.

Mubarak chegou foi à TV estatal e afirmou que não deixaria o poder antes das eleições, programadas para setembro/2011 e que ele não participaria. Mas sua atitude não diminuiu a vontade da sociedade que clamou o tempo todo por sua renuncia. Menos de 24h depois ele fugiu da capital e anuncio a saída do poder.

O governo agora está nas mãos dos militares, que irão organizar o novo governo junto com a oposição, tão oprimida durante a ditadura. Espera-se que a transição seja pacífica e a democracia reine na terra dos faraós, mas quando se trata de militar no poder tdo pode acontecer.

Enfim, o primeiro passo foi dado e o povo conseguiu sair vitórioso dessa batalha. Porém, até setembro inúmeras outras virão e a sociedade tem de permanecer unida para conseguir seu obejtivo.

E quanto ao futuro de Mubarak ninguém sabe tanto quanto se ele conhece o ditado "A voz do povo é a voz de Deus", que ao renunciar fez torna-se verdadeiro em uma sociedade tão religiosa quanto a egípcia.

Um comentário:

Silenciosamente ouvindo... disse...

Pois realmente a saída do Mubarak deve ter sido
bem negociada e em princípio nada lhe irá
acontecer nem aos bens que ele e a família
devem possuir. Veremos se a democracia se
instala através de eleições livres e se
o Egipto se torna um país totalmente democrático.
Um abraço
Irene