segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

A Rússia, sede da Copa do Mundo de 2018, sofre mais um atentado

Atualizado em 25/01/2011 às 10h18m.

O atentado de hoje (14/01/2011) não foi o primeiro e não será o último. Problema na região do cáucaso pode ser a causa

Desde o final da União Soviética, em meados de 1991, a Rússia vive conturbados problemas políticos, sociais e econômicos. Ainda na década de 90 sofreu com a crise mundial e toda a sociedade sentiu na pele problemas de dinheiro e emprego.

De lá para cá inúmeras transformações ocorreram e, também, tiveram confrontos com a Geórgia por tentarem invadir a Ossétia do Sul em 2008. Divergências com a Ucrânia ainda ocorrem por causa do gás e por que os Estados Unidos querem puxar as ex-potências soviéticas para o seu lado.

Hoje, dia 24/01/2011, mais um dia para marcar a história da nação russa por conta de explosão de uma bomba no aeroporto internacional de Moscou (Domodedovo) e matou ao menos 35 pessoas e feriu cerca de 130, de acodo com o portal UOL.

Na história recente dos russos (2002) um teatro da capital foi invadido e todas as pessoas se tornaram reféns, inclusive alguns turistas. O resultado final da tragédia foi de mais de 100 mortos em ação da polícia contra os "sequestradores". Em 2004 tivemos episódios como os atentados em uma escola na cidade de Beslan, na Ossétia do Norte, onde mais de 330 pessoas morreram sendo que 186 eram crianças. Essas foram somente algumas das situações vividas pelos russos na última década onde metrô também foi palco de violência.

Em todos os casos os acusados são os separatistas chechênos que utilizam de força e violência para chamar atenção do mundo ao seu problema. A Rússia mantém seu exército na Chechênia para combater os insurgentes que almejam a separação e, posteriormente, a criação de um novo estado.

O caráter da disputa além de ser político é também religioso, pois a população da Chechênia tem como religião o islamismo enquanto na Rússia o que predomina são os cristãos ortodoxos. Cansados de se submeterem ao controle dos russos eles tentam há tempos sua independência.

Ainda não se sabe quem cometeu os atentados de hoje, porém pode-se dizer com mais de 95% de certeza que o governo russo tentará à tudo custo provar que foram os separatistas chechênos, considerados terroristas por grande parte do globo.

Não podemos concordar com tal atitude de explodir bombas um locais públicos e que pessoas inocentes morrem ou são feridas. Porém, devemos ficar atentos para as atrocidades cometidas pelos russos ao manterem um exército na Chechênia, como forma de invasão similar a dos E.U.A. no Iraque e Afeganistão, onde eles cometem abusos contra a população por conta de sua religião e origem.

A mídia gosta de falar e condenar grandes catástrofes, atentados e mortes. Mas ao deixar de divulgar informação sobre o que ocorre com os chechênos elas apenas assina mais alguns atestados de óbito e crimes contra a humanidade.

Para um país que sediará a Copa do Mundo de 2018 está mais do que na hora de ter a situação resolvido de forma pacífica e sem que vidas sejam desperdiçadas.

Nenhum comentário: