segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Como comprar passagens mais baratas para vôos no Chile

Empresas aéreas cobram mais caro de turistas que selecionam país diferente de "Chile"

Por Thiago Marcondes

Sempre tive vontade de conhecer o Brasil e o mundo e muitas vezes o preço da passagem aérea segura um pouco meu ímpeto e, com certeza, de outros viajantes. Há casos em que o destino da viagem pode ser alterado por conta do alto custo.

Ao planejar uma viagem para o Chile, com uma parada de 3 dias para visitar Mendoza, o Aconcágua e cruzar a fronteira de ônibus para conhecer a famosa estrada Caracol, que passa pela Cordilheira dos Andes, me deparei com uma situação um pouco inusitada em relação aos preços de passagens.

A ideia é conhecer Santiago do Chile e o deserto do Atacama. Para chegar ao local o viajante precisa ir de avião da capital chilena para uma cidade chamada Calama (informações sobre como chegar até San Pedro de Atacama serão disponibilizadas em outro post) e as companhias aéreas que realizam o trajeto são Sky Airline e Lan Chile.

Ao acessar site da Sky Airline você deve selecionar o país de origem e escolhi Brasil. O valor da passagem por pessoa, com taxas, ficou por volta de US$ 234.00 Quase o preço oferecido pela Aerolíneas Argentinas pelos trechos "São Paulo / Mendoza" e "Santiago / São Paulo".



Pela Lan Chile, que geralmente tem preço superior, a passagem ficava por US$ 171.00 com taxas. Ao acessar você também precisa selecionar o país e mais uma vez optei por Brasil. Fechei com a Lan por ser menos caro? Claro que não! Pesquisei em blogs de turistas e descobri que ao selecionar o país como Chile as passagens ficam mais em conta.

Retornei aos sites e pela Sky consegui por US 73.00 com taxas e pela Lan Chile ficava US$ 2,00 mais caro. Geralmente os sites não aceitam cartões de crédito de bandeira brasileira, mas os blogs pesquisados passaram uma dica que funcionou perfeitamente.

Habilite seu cartão para compras no exterior e na forma de pagamento não tente parcelar, pois as companhias não aceitam. Pague à vista! Em ambos os sites os valores aparecem em pesos chilenos e isso impossibilita finalizar o processo. Altere para dólares estadunidenses (me recuso a dizer americano, pois na minha concepção qualquer um nascido na América do Sul, Central ou do Norte é americano) e vai conseguir efetuar a reserva e, consequentemente, pagar as passagens.

Não tenho uma explicação para isso, mas sei que as empresas aéreas usam desse artifício e conseguem obter lucros maiores. Gostaria apenas de deixar bem claro que essa medida é decidida pela própria empresa e nada tem a ver com o governo brasileiro. Ressalto isso, pois na próxima passeata pode ter gente com faixa de impeachment  por conta dos preços das passagens para Calama.

Thiago Marcondes é um sonhador, mas para a turma "pseudo-intelectual" não passa de um comunista (sic)

Artigo relacionado:

De Mendoza até Santiago de ônibus

Nenhum comentário: