terça-feira, 1 de março de 2011

Um pedaço da Bolívia em São Paulo

Mesmo longe de seu país, os bolivianos tem um espaço reservado na capital paulista onde preservam seus costumes

Localizada na região do Pari, mais precisamente na rua Pedro Vicente com a rua das Olarias, a feira da Praça Kantuta tem produtos tradicionais da Bolívia onde os imigrantes dessa nação andina podem matar um pouco as saudades de sua patria mãe.

A princípio, na chegada pela rua das Olarias a impressão não parece ser das melhores, mas ao entrar na feira parece que o visitante atravessou a fronteira entre Brasil e Bolívia e está, definitivamente, no país vizinho.

Tendas com artesanatos, camisas de times bolivianos, roupas, danças e barracas com comidas andinas faz com que o visitante se sinta acolhido e, também, com vontade de conhecer esse país que nós brasileiros pouco damos atenção.

Os bolivianos sofrem preconceitos no Brasil e na maioria dos casos vêm para cá para trabalharem em oficinas de costura, onde vivem em condições precárias e são semi-escravidos por seus patrões. A feira, que ocorre todos os domingos das 11h às 18h, serve para preservaram suas tradições e cultura.

Visitei o local no último domingo com a curiosidade de saber como preservam seus costumes mesmo longe de casa e, também, para provar suas comidas típicas, já que em maio vou me aventurar por aquelas terras. Parei em uma tenda que oferecia salteñas, puka-kapa e um chá de pêssego (com a fruta dentro do copo).

Sempre tive aversão de provar coisas diferentes, mas desta vez dei as caras e pedi o puka-kapa, um salgado assado com recheio de queijo, cebola e tempero apimentado para não perder a originalidade. Um gosto diferente do sabor brasileiro, mas muito gostoso e com o chá de pêssego (servido em temperatura ambiente) fica melhor ainda.

As salteñas são parecidas com os risólis brasileiros, porém são assados e os recheios variam de carne, queijo e frango, sempre acompanhados com batatas dentro da massa.

Por volta das 14h começa a música originária do país e grupos de danças, compostos em sua maioria por bolivianos, começam a dançar na praça e pode-se ver toda a tradição preservada naquele cantinho onde nós, os brasileiros, somos os estrangeiros.

Vale à pena ir visitar para saber um pouco mais sobre a cultura e o povo boliviano, que trocam de país na busca de uma vida melhor. O preço dos produtos é bem acessível, as pessoas são receptivas e a comida muito boa.

4 comentários:

Anônimo disse...

Bacana, hein Thiago. A Bolívia possui uma cultura muito rica! Visitarei a feira, com certeza, em algum domingo! Valeu.

Obrigada,
Elisangela

Anônimo disse...

Oi Thiago, que coisa bonita! Confesso que não sabia da existência dessa feira. Sabia que os bolivianos trabalham aqui quase num regime de escravidão total.
Irei visitar esta feira o quanto antes.
Abraços,

Ivan

Anônimo disse...

Olá!!!!

Muito bacana!!!! Não sabia da existência desta feira, conheço o país e admiro demais todos aqueles que saíram de lá para se aventurar no país chamado Brasil... eu, já tomei este chá e é simplesmente maravilhoso....

Muito legal mesmo este texto!!!

Abraços,

Lígia

Anônimo disse...

Quando for a São Paulo vou a esta feira. Gosto muito da Bolívia. Não só de Copacabana à Beira do Titicaca ou das impressionantes ruínas de Tijuanako, mas há cidades impressionantes como Sucre e Potossi. As hamburguesas com papas servidas na bolivia são "muy buenas" para não dizer "riquísimas". O sabor do sorvete de chirimoya de Santa Cruz e La Paz é inesquecivel... Mas o melhor é quando você pensa no que está gastando: tudo bem mais barato do que nosso assombroso custo de vida.

Maurizan