sábado, 21 de agosto de 2010

Uma comédia chamada "Horário Político"

A propaganda eleitoral, tanto no rádio quanto na televisão, está cada vez mais cômica e menos informativa

Em ano de eleição os candidatos atiram para todos os lados em busca de votos. Passeios em praças, periferias, distribuição de santinhos, chaveiros, bonés e, utilizam também, a propaganda eleitoral gratuíta nos meios de comunicação.

O chamado horário político, nas televisões e rádios, é um espaço destinado ao candidato para expor suas propostas de governo e interagir com o público alvo. Porém, o que vemos e ouvimos não está próximo disso quando falamos dos cargos à deputado estadual e federal.

Existem advogados, dançarinas, empresários, ex-jogadores de futebol, humorístas, médicos, modelos, músicos e religiosos (são apenas alguns exemplos) com intenção de arrumarem uma vaga no cenário político brasileiro.

A maioria dos candidatos dizem o nome, o número de inscrição e falam coisas que nada têm com a política para conseguirem votos.

Governar para todos ou somente para uma parcela da sociedade?

Dinei e Vampeta (ex-jogadores do Corinthians): para se elegerem ambos se dizem candidatos dos corinthianos. Se uma família com 04 pessoas tiver um torcedor de cada clube grande de São Paulo quer dizer que eles lutarão somente pelo torcedor do Timão?

Tiririca (humorista): esse diz que se o povo não sabe o que um deputado faz que votem nele e terão a explicação. Não seria mais fácil acessar o google e realizar uma pesquisa?

Hoje no rádio um candidato (me desculpem, mas não lembro o nome) disse que trará justiça e o evangelho para a sociedade se for eleito. Vivemos em uma sociedade laica e não podemos distinguir religiões. Ao trazer o evangelho ele excluirá os adeptos do islamismo, budismo, hinduísmo, religiões africanas etc?

Claro que cada candidato tem uma determinada parte da sociedade na qual ele pretende defender projetos. Porém os casos acima citados são absurdos e devem ser devidamente analisados pelos eleitores.

Governar não é brincadeira ou piada porque as decisões dos eleitos afetam milhões de pessoas. Portanto, pensem bem antes de eleger seu candidato.

Um comentário:

Anônimo disse...

Na verdade, não existe saída, votando ou não, uns por afinidade votarão nos palhaços, nos jogadores de futebol, nos cantores de música sertaneja, pior ..sem carreira política , sem bagagem, tomam o veículo da mídia e o destino é lá na frente , já como deputado estadual/ dep. federal e até senador..O povo fala "cada vez mais sem opção" ....não opção tem é só escolher um desses, pois é....a mídia que vai proporcionar essa desgraça toda pra nação. Certo está Ze Ramalho ...."Gado Marcado..Povo Feliz"