segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Beagles são escravizados no interior do Pará

Cachorros escravizados mexem com os sentimentos da mídia, mas homens não!!!
 
Por Thiago Marcondes
 
Ourinhos - Na última semana muitos veículos de comunicação se pautaram com as notícias que pesquisas para novos produtos cosméticos são realizados com animais e a forma de protesto das pessoas e ONG's defensoras dos direitos dos bichinhos.
 
Uma grande operação de resgate foi realizada no Instituto Royal de onde foram retirados inúmeros cachorros com sinais de maus tratos. Muitos no sociedade reprimem o uso de animais em testes científicos e desejam o fim da prática.
 
Os meios de comunicação aproveitaram o embalo da situação para produzir inúmeras reportagens e, de certa forma, levantaram o assunto polêmico para toda a sociedade, que discutiu tema no local de trabalho, no ônibus, nos bares etc.
 
Muito justo a mídia abrir espaço para esse tipo de discussão, mas EXTREMAMENTE INJUSTO quando ela não divulga reportagens e tampouco vai atrás de saber sobre o trabalho escravo no Brasil. Nas regiões norte e nordeste muitos brasileiros como nós, que também se indignam quando um animal não é bem tratado, trabalham (sic) em condições análogas e comem o pão que o diabo amaçou com a ilusão que ganharão dinheiro para ajudar suas famílias.
 
Os patrões, para reduzir custos, abordam as pessoas em regiões remotas do Brasil e são simpáticos no primeiro contato. Prometem salários, moradias e alimentação, mas no fundo retiram até sua dignidade. Os trabalhadores, em geral, prestam serviços para pagar o transporte até o local de trabalho, o cantinho para dormir e a refeição oferecida pelo empregador. Se tentam fugir são ameaçados de morte e, quando conseguem e são pegos, morrem e têm seus corpos enterrados em valas comuns.
 
Quando situações assim ocorrem parece que o ser humano não tem valor para os outros. Ou então que notícias de nordestinos e nortistas pobres não rende publicidade e, consequentemente, não vale à pena veicular tal situação para a sociedade.
 
O site Repórter Brasil sempre tem matérias sobre o assunto e nos ajuda a ter informações sobre o trabalho escravo no Brasil. Caso alguém tenha intenção de saber mais sobre o assunto leia o texto "O que é trabalho escravo" e tire as próprias conclusões. Afinal de contas, atualmente a vida de um ser humano que não conhecemos não deve valer praticamente nada.
 
Observação: a ideia do título foi para chamar a atenção do leitor, pois "Homens são escravizados no interior do Pará" virou clichê (sic).
 
Thiago Marcondes é pós-graduando em Gestão de Projetos

Um comentário:

Anônimo disse...

Parabéns, meu caro! Faltam homens também para relatar, discutir, criticar e brigar por outros homens. O mundo é uma roda gigante... Hoje se está por cima, amanhã é imprevisível mas, em algum momento, se estará por baixo.