sábado, 2 de junho de 2012

Arrastões ou assaltos? Depende da região é claro

O crime pode ser o mesmo, mas o nome dado depende do bairro onde ocorreu

Por Thiago Marcondes

Nos últimos meses a mídia tem noticiado com certa frequência que bandidos invadem restaurantes, bares e/ou pizzarias para assaltar o estabelecimento e os frequentadores do local.

Geralmente as ações são rápidas e os bandidos não ficam mais que 10 minutos no estabelecimento. Eles levam o dinheiro arrecadado pela casa e dos clientes, além de celulares, relógios, jóias e, às vezes, carros para auxliar durante a fuga.

Este tipo de crime é chamado de arrastão, nome popularizado na década de 90 nas praias do Rio de Janeiro, onde os banhinstas eram assaltados na areia da praia por ínumeras pessoas que corriam e pegavam seus pertences.

Somente nesta semana 02 restaurantes em Higienópolis, região rica à oeste da cidade de São Paulo, sofreram com o problema e as ações foram sempre próximas do fechamento do estabelecimento, ou seja, o mais tarde possível para que as ruas tenham menos pessoas que possam, eventualmente, acionar a polícia.

Os crimes noticiados pela mídia ocorrem quase sempre em bairros de classe média-alta, ou classe-alta, com consumidores de grande poder aquisitivo. Situações assim não eram comuns, pelo menos não nos jornais, mas assustam a população que tende a ficar em casa com medo de que algo aconteça. Os donos dos estabelecimentos reforçam a segurança, mas ainda assim viram a queda na clientela.

Nas periferias de São Paulo e de outras cidades crimes assim também acontecem. Quem mora em regiões mais afastadas sempre escuta que a padaria, lanchonete, o mercadinho ou o bar foi assaltado e, os clientes, também tiveram seus pertences levados pelos assaltantes. Quando isso ocorre é qualificado de assalto e não vira notícia na internet porque não são empresários, ricos e endinheirados, que sofrem as consequências.

O povo das periferias sofre com esse tipo de crime e praticamente nada é feito para saná-los, mas no bairro de Higienópolis a polícia reforçará o esquema de segurança, assim como em outros locais, para garantir que nada aconteça. Isso é ótimo e está certo, mas porque não ocorre também nas regiões mais afastadas da cidade?

Não ocorre porque nos bairros nobres crimes assim são "arrastões" e fora deles são "APENAS ASSALTOS".

Thiago Marcondes é Jornalista

Nenhum comentário: