quarta-feira, 10 de maio de 2017

Cacau equatoriano utilizado nos chocolates mais finos

O produto está em praticamente todo o mundo

Por Thiago Marcondes

A cidade de Quito, no mês de maio, tem seus imprevistos e a chuva pode começar a cair de uma hora para outra. Em cerca de 90 minutos sai de um sol forte, para vento e frio, chuva e sol com céu azul novamente. Por esses motivos sempre é bom ter uma lista de museus porque se estiver no centro pode ficar em algum deles e aproveitar a história e cultura locais.

Durante a chuva em nosso trajeto estava o Museo Camilo Egas, um pintor equatoriano que por muito tempo retratou em seus quadros a vida da população indígena e na década de 20 chegou a ser chamado de comunista por conta de suas ideias para melhorar o governo e a sociedade. Não entendo de arte e não vou prolongar o assunto, mas para quem gosta de história vale à pena conhecer o museu. A entrada é grátis.

Cacau equatoriano
Armazenagem do cacau antes de começar a ser produzido o chocolate

O Equador é conhecido por produzir e exportar bananas para todo o mundo e, de acordo com os equatorianos, o segundo produto mais exportado é o cacau fino. Ou seja, de todo chocolate fino do mundo mais de 60% tem tem sua produção realizada com o produto local. Os chocolates nacionais, conforme disseram, são feitos com cacau de segunda ou terceira linha, assim como no Brasil.

A empresa República del Cacao tem lojas espalhadas pelo país e, também, em outros países da América do Sul como Colômbia e Perú. Na cidade de Quito há possibilidade de consumir produtos na loja e também realizar uma visita guiada com informações sobre a produção do cacau, a produção do chocolate equatoriano e degustação de três diferentes tipos de chocolates. Custo US$ 5.00 por pessoa.

Produção de chocolate - Equador, Quito
Produção do chocolate 

O guia informou que o sabor do chocolate tem alteração por conta da plantação da cacau e de suas regiões. Em lugares de altitude não há outros tipos de plantas ou árvores em volta do cacau e o sabor fica mais amargo. Nas regiões com plantações de frutas ao redor do cacau e o chocolate tem um sabor mais adocicado e isso impacta no resultado final.

O chocolate negro é feito com cacau enquanto utiliza-se a manteiga de cacau para fazer o branco.

O chefe da loja fez um alfajor com chocolate fino e doce de leite e, para quem não come tanto doce como eu, foi algo divino para provar. Nunca comi algo tão saboroso em minha vida e, acreditem, estive na Argentina onde esses doces são tradicionais e conhecidos como os melhores do mundo. Provei o chocolate quente com o produto local (não estava incluso na visita) e também foi o melhor que bebi até hoje.

Chocolate quenteAlfajor equatoriano


Na degustação foi possível provar chocolates com 85% e 75% de cacau e saber um pouco sobre a qualidade do produtos. Ao quebrar a barra e olhar dentro se não houver tantos bolhas significa que foi processado de melhor maneira possível e tem alta qualidade. O passeio tem um estilo mais turístico do que algo local, porém vale a pena tirar cerca de duas horas do dia para conhecer um pouco da história do cacau e sua importância na economia equatoriana. 

Artigos relacionados:

Um comentário:

Tutorial e Informação disse...

Para os amantes de chocolate esse é um dos lugares a se visitar.
Parabéns pelo artigo como sempre muito bom.