terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Perdeu Playboy

Invadir espaço aéreo de uma nação soberana seria crime se não fosse uma aeronave estadunidense

Por Thiago Marcondes

Os Estados Unidos da América tem ao redor do mundo inúmeras missões através de agentes secretos e da C.I.A., além de contar com bases americanas em diversas nações como Colômbia, Coréia do Sul, Alemanha e Paquistão, essa última com relações abaladas por conta dos últimos acontecimentos.

As bases dão suporte ao governo estadunidense em suas ações (entende-se por invasões) nas demais nações do mundo. Iraque e Afeganistão são reféns dessa situação há vários anos e sofrem problemas internos com violência e atentados por conta das guerras provocadas. Os estadunidenses, quando invadem um país, sentem-se donos das riquezas naturais, do povo e dos seus direitos e, com isso, faz o que bem entende em nova da "Liberdade" e da "Democracia".

O Irã, país de origem persa, está sempre na mira dos Estados Unidos e aliados por conta de seu programa nuclerar. Os iranianos alegam não terem a intenção de construiu uma bomba e constatemente são confrontados por conta da situação e quase sempre têm de dar explicações à O.N.U.

Ainda não houve invasão por terra, mas pelo ar ocorreu através de um avião não tripulado que invadiu o espaço aéreo iraniano. As Forças Armadas do país, por intermédio de hackers á serviço do governo, interceptou a aeronove a fez pousar aparentemente sem danos e agora se dizem donos do equipamento.

Para o governo de Barack Obama a perda é uma derrota mais moral do que propriamente tecnológica e financeira, apesar de o governo de Mahmoud Ahmadinejad dizer que irá copiar a tecnologia usada e construir suas próprias aeronaves. Houve um pedido de devolução, negado pelos iranianos.

A O.N.U. deveria cobrar explicações dos estadunidenses. Afinal de contas o que faziam ao sobrevoar o espaço aéreo iraniano? Acredita-se que seria para averiguar as instalações nucleares do país. Mas até o momento isso é uma incógnita. A única certeza que existe e que pode-se dizer aos Estados Unidos é: "Perdeu Playboy!!!".

Thiago Marcondes é Jornalista

2 comentários:

Anônimo disse...

Olá Thiago, muito apropriado o seu texto. Trata-se de uma boa análise do que corre pelo mundo atual. O pedido de Barack Obama "devolvam o meu avião" foi ridículo. Um avião sem tripulantes com o claro (ou obscuro) obetivo de espionar o Irã é de propriedade moral dos iranianos, talvez até legal. eu até reconheço que o Irã, nos tempos do Xá era um país muito bonito, mas era um quintal americano. A coisa está muito complicada pelos lados do Oriente e a beleza da região se acabou após as Mil e Uma Noites!
Forte abraço.

Ivan

Silenciosamente ouvindo... disse...

Venho desejar um Feliz e Santo Natal.
Bj.
Irene